Hoje em dia, a maioria das marcas internacionais de luxo que conhecemos fazem parte de grandes grupos. Um dos maiores e mais conhecidos é o PPR, capitaneado pelo francês François Pinault (também conhecido como marido de Salma Hayek). Embaixo de seu guarda-chuva, estão abrigados grandes nomes do luxo como Gucci, Bottega Veneta e a recém-renovada Saint Laurent (antiga YSL), além de modernos como Stella McCartney e Christopher Kane e até marcas esportivas como a Puma e a Volcom.

Porém, os executivos do grupo querem nos dizer que não estão nesta jornada simplesmente pelo lucro (como corre a fama da sua maior concorrente, a LVMH). Pinault mostra que faz parte de seus objetivos dar suporte às marcas, ajudando-as a crescer e garantindo sua liberdade criativa. É para que esta mensagem seja comunicada de forma bem clara que, a partir de junho, o grupo mudará de nome e passará a se chamar Kering.

Pinault

logos

A super blogueira francesa Garance Doré, que edita vídeos muito divertidos para o seu blog, está montando uma série de seis episódios onde os executivos do PPR (ou Kering, muito em breve) e os estilistas das suas principais marcas nos explicam com detalhes seus processos criativos e administrativos. Pinault conta, por exemplo, que o nome Kering quer comunicar o verbo to care (se importar, em inglês) e ao mesmo tempo a palavra ker (que significa casa no francês antigo). Numa época em que a política dos grupos é muito contestada por sua maneira sem dó nem piedade de gerir suas empresas, Kering vem nos dizer que seu estilo é mais ético, criativo e familiar. Entenda mais com o vídeo da Garance:

O conglomerado de luxo francês PPR liderado por François-Henri Pinault acaba de expandir o seu portfólio de marcas comprando 51% da britânica Christopher Kane. O grupo, principal concorrente do também francês LVMH (Louis Vuitton Moët Hennessy), já detém marcas como Stella McCartney, Alexander McQueen, Gucci, Balenciaga e Yves Saint Laurent.

Kane continuará com independência na identidade da marca enquanto o grupo irá ajudar a empresa a crescer globalmente. O objetivo é abrir a primeira loja da marca (provavelmente em Londres) e introduzir outra linha prêt-à-porter.


Será que isso quer dizer que as passarelas da London Fashion Week o perderão para Paris?

Uma novidade para todas as amantes do e-commerce! O site italiano de vendas de luxo Yoox acaba de se juntar a um dos principais grupos do mercado de varejo e luxo internacional, a holding francesa PPR, detentora de um portfolio marcas recheado – Gucci, Bottega Veneta, Yves Saint Laurent, Alexander McQueen, Balenciaga e Sergio Rossi são parte dele. O objetivo da parceria é construir uma plataforma de e-commerce completamente inovadora para as marcas do grupo.

O CEO da PPR, Francois Henri-Pinault, diz que os novos sites irão possibilitar compras a nível de experiências dentro da própria loja. A parceria visa disponibilizar toques personalizados aos seus consumidores. Se o cliente estiver perto de uma das lojas, ele poderá marcar um horário para ser atendido na hora desejada. Caso ele esteja longe dos pontos de venda, ele poderá receber em casa serviço de alfaiates e costureiras, baseado em uma consulta marcada online.

A empresa recém-criada será inteiramente dedicada a gerenciar lojas mono-marca online para dar suporte as diversas marcas de luxo da PPR. Sergio Rossi e Bottega Veneta terão suas lojas online lançadas primeiro, ainda em 2012. Todas as lojas digitais serão operadas para o mundo todo – dos Estados Unidos à China – até o final de 2013. No futuro, a PPR espera envolver novas marcas nesse empreendimento conjunto.

Com o crescimento altíssimo da indústria fashion online nos últimos anos, os compradores querem cada vez ter mais acesso as compras – até mesmo pelos seus smartphones. Esse mercado online ajuda a amortecer a demanda de varejo, que está mais fraca no sul da Europa, onde as preocupações econômicas estão assustando os clientes das lojas.

Esses e-commerces de luxo serão o crème de la crème.