É impressionante como a tecnologia hoje em dia é capaz de disseminar uma ideia em segundos e está cada vez mais fácil viralizar um assunto. Foi exatamente isso que aconteceu com o vídeo sobre Joseph Kony, um guerrilheiro e chefe da LRA (Lord’s Resistance Army) em Uganda. O vídeo, criado pelo jornalista Jason Russel, um dos fundadores e realizadores da organização “Invisible Children”, é uma tentativa de mover o mundo no empenho de capturar Kony em 2012. Para quem ainda não viu, veja o vídeo a seguir:

Em um vídeo de 30 minutos, Jason mostra como as crianças de Uganda são sequestradas para virarem soldados sob as ordens do chefe guerrilheiro Joseph Kony. São expostos crimes de guerra e contra a população civil como assassinato, abuso sexual, estupro, ou sequestros. Com o sucesso do video – foram 100 milhões de acessos em seis dias – Kony 2012 virou uma marca e passou a vender produtos como pulseiras, pôsteres, camisetas, cartazes e adesivos. Agora, além de querer a captura de Kony, Jason também quer o nosso dinheiro para ajudar as crianças africanas prejudicadas. Porém, o sucesso do filme também trouxe muitas críticas e contradições como o vídeo a seguir. Veja mais alguns aqui e aqui.

Neste domingo, o Fantástico abordou esse tema tão comentado no mundo digital e mostrou embasamento para as críticas contra a o filme. Os jornalistas investigam a situação e afirmam que as imagens gravadas foram de 10 anos atrás. Hoje em dia, apesar da LRA ainda existir, Joseph Kony não possui mais tanta força e não está em Uganda desde 2006. Por que então toda essa repercussão em função de um homem que já está praticamente derrotado?

Claro que pode ter a ver com o fato dos EUA terem descoberto reservas de petróleo em Uganda, por isso o interesse em enviar soldados ou representantes para o local. Ou então pode ter a ver com o fato de que a “Invisible Children” sobrevive graças aos seus vídeos e viagens. Dos R$13,7 mi que a ONG arrecadou no último ano, ela já gastou R$9 mi. Desses gastos, apenas 37% foram destinados a obras de caridade tendo a outra parte investida em despesas de pessoal, viagens e a realização de vídeos.


Quadro de despesas da ONG Invisible Children

Segue um dos vídeos criados pela ONG, veja pra onde está indo a maioria do dinheiro arrecadado:

http://www.youtube.com/watch?v=QWACLKaOC08&feature=player_embedded
Por isso, se informe melhor antes de apoiar uma causa e não invista em uma ONG só porque viu um filme. Claro que criminosos como Joseph Kony devem ser detidos. Mas será que o dinheiro que você doar para a “Invisible Children” vai mudar alguma coisa?

 

Não é mais novidade uma marca de alta costura lançar parceria no mundo das lojas de departamento. Todos esperam ansiosos para ver/ter as peças desenhadas a um preço mais acessível sem perder o toque de alta costura – não foi diferente com a colaboração da Marni para a H&M. A novidade maior é uma outra parceria, ainda mais inesperada. Sophia Coppola está pela primeira vez por trás do mundo da moda, dirigindo a campanha.

As campanhas em formato de filme, os “fashion films”, estão cada vez mais frequentes nas marcas de grande notoriedade. Abriu-se um espaço enorme para esse tipo de mercado e é claro que o sucesso seria absoluto com Sophia Coppola a frente da direção.

Sua criatividade e sensibilidade nos filmes a transformaram numa das diretoras mais importantes da atualidade. Estão entre seus projetos “Encontros e Desencontros”, “Virgens Suicidas” (Um dos meus filmes favoritos dela), “Maria Antonieta” (Adoro!!) e “Um Lugar Qualquer”. A filha de Fracis Ford Coppola não deixou barato e ainda faz uma ponta nesse curta. Vale a pena conferir!

O curta mostra um romance no Marrocos. Simples e morno, sem muitos mistérios, bem característico da diretora.

Os modelitos já estão nas lojas e no website da H&M.

Sophia Coppola e Consuelo Castiglioni (fundadora da H&M)

Ontem fui ao cinema assistir ao filme Shame e confesso ter ficado bastante surpreendida com sua narrativa. O filme, segundo longa-metragem realizado pelo renomado artista plástico Steve McQueen, é protagonizado por Michael Fassbender. Em uma atuação escandalosa, Michael vive o cotidiano de Brandon Sullivan, um homem aparentemente bonito e bem-sucedido, que nem permite aparentar tamanho isolamento interno ou mesmo vestígios do seu vício em sexo. Sua vida privada, sempre cuidadosamente cultivada, é interrompida pela chegada repentina de sua irmã Sissy, interpretada por Carey Mulligan. Ela, por sua vez, é intrusiva, deixa suas roupas jogadas pela casa e está longe da ilusória coordenação de Brandon.

Por coincidência, saiu hoje no Segundo Carderno do jornal O Globo uma crítica maravilhosa ao filme na qual foi destacada uma de suas cenas mais impactantes: Sissy, que é cantora, ressalta a delirante tristeza que vivem em uma apresentação de “New York, New York”. A letra da música atravessa Brandon em uma crítica aos valores de uma sociedade moderna: “Eu quero acordar / Numa cidade que nunca dorme / E descobrir que sou o número um, topo da lista / Rei do pedaço, o número um.” A música, cantada tristemente por quem vive o contrário do que está dizendo, faz Brandon chorar, refletindo a pressão que sente todos os dias no contexto em que está inserido.

Nos fazendo pensar criticamente, McQueen arremata o filme mostrando Brandon preso em seu próprio cotidiano, incapaz de sair de um ciclo vicioso de ações que o amarram a sua tristeza. Um filme surpreendente com inúmeras possibilidades de interpretação.

A última campanha da H&M foi lançada com um time de peso: as modelos Sasha Pivovarova, Natasha Poly, Isabeli Fontana e Anais Mali. Fotografada por Inez Lamsweerde e Vinoodh Matadin, a campanha “Fresh Start” mostrou uma cartela de cores viibrantes, mas atingiu um resultado leve graças a combinação com tons claros, compostos por peças de brilhos e alfaiataria. Tudo “fresh” em mood elegante.

[smooth=id:4]

No vídeo da campanha, Natasha Poly dança usando um vestido de paetês:

Quando se trata de novos conceitos, Berlim é o paraiso, sempre à frente nas vanguardas artísticas. Prenzlauer Berg é um bairro situado no antigo lado oriental de Berlim. Foi ocupado por artistas, jornalistas e um sem-número de pessoas que não tinham muito dinheiro logo após a queda do muro. O resultado é um clima familiar super descolado com muitos cafés, brechós e lojinhas legais.

Kauf Dich Glucklich (Shop Yourself Happy, em inglês) é uma sorveteria super trendy que fica nesse bairro. Não só pelos sorvetes e waffles maravilhosos, a KDG também ficou famosa devido a seu caráter retrô e seu conceito de loja integrada.

Essa loja se resume a nada menos que toda a decoração que compõe o café. Você pode levar na hora as cadeiras coloridas, as miniaturas de fusquinhas, os pratos, as xícaras (uma mais antiga e diferente que a outra), a coleção de óculos vintage e até mesmo os brincos da garçonete – ela tira na hora pra você.

O café fica na rua Oderberger e é muito facil de achar pelas cadeiras coloridas que ficam na porta e pela chamativa placa dizendo que lá servem waffles.

Kauf Dich Glucklich
Oderberger Str. 44 10435
Berlim, Alemanha
+49 030 48623292

 


As águas de março chegaram, mas nem por isso o sol saiu de cena. Mesmo ao finalzinho do verão, ainda podemos ver o sol bombando e as praias lotadas. Mas nem todas conseguimos nos dividir entre nossas obrigações e o sol. Por isso, muitas vezes na hora da produção precisamos recorrer a um plano B. Nesse caso, a maquiagem pode ajudar bastante, mas também pode atrapalhar. Por conta do calor, ela escorre muito facilmente e quando nos olhamos no espelho uma hora depois, não encontramos mais nada na pele. Ou pior, ficamos com os famosos “olhos de panda”. Para você sobreviver ao final da e estação bronzeada e impecável, basta seguir algumas dicas:

Agora não tem mais desculpa!

Quarta-feira comemoramos o lançamento do site com um coquetel no Stuzzi Bar, já até falamos dele aqui, somos super fãs do hot spot. O evento foi muito legal, cheio de gente bacana, durou das 19:30 a 01:30 da manhã ao som dos setlists dos DJs Marcelo Cotrim e Raphael Gandara. Ainda rolaram cupcakes Donna Carola, que fizeram o maior sucesso! Confira as fotos do evento na nossa galeria:

[smooth=id:3]

Aproveitando a tendência barroca, que está cada vez mais presente em nossos guarda-roupas através de estampas coloridas e bordados super elaborados, não podemos deixar de lado um artista que usa e abusa desse estilo nas suas criações de design de interiores.

Conhecido por seus objetos decorativos coloridos e provocativos, o designer alemão Tom Hoffman reflete na arte sua maneira positiva de ver a vida. Desde móveis até pequenos objetos de decoração, as suas peças são sempre muito criativas e riquíssimas em detalhes. Sem contar que seu espírito e estilo são imediatamente reconhecidos em qualquer um de seus trabalhos.

No Rio, algumas peças de Tom Hoffman estão a venda na loja Allhousz, mas elas podem ser encontradas pelo mundo todo, muitas vezes em lugares onde menos esperamos. Me deparei com seu trabalho em uma lojinha em Roma, e não pensei duas vezes: trouxe para casa um coelho e um elefante.


Meus filhotes

O artista Tom Hoffman

Allhausz
Casa Shopping – Primeiro Piso Bloco G – Barra da Tijuca
Rio de Janeiro – RJ, Brasil
+55 21 2108-8883

Depois de ter Alexa Chung no comando, dirigindo e estrelando suas campanhas, a italiana Superga contratou Mary-Kate e Ashley Olsen como diretoras criativas. As gêmeas, que já estão no mercado da moda com as luxuosas The Row e Elisabeth and James, lançam esse mês coleção para a marca de tênis. Já tendo passado por colaboração com a TOM’S fazendo espadrilles de cashemere, elas agora vão investir no mesmo tecido com o clássico Superga 2750 nas cores preto, cinza e azul marinho. As peças estarão à venda exclusivamente na multimarcas inglesa Harvey Nichols ainda esse mês por £250 – mais do que cinco vezes o valor do modelo básico. Mas, levando em consideração que uma mochila na The Row pode custar até £22.000, a parceria tem tudo para despontar.

Tênis de luxo!

Quem nunca viu um filme em que a mocinha acorda de manhã, a camera só filma as pernas dela andando pelo quarto? Ela pega a primeira roupa pela frente, que por acaso é sempre a roupa do galã do filme. Toda vez que penso em “boyfriend style” me vem essas cenas na cabeça.

De alguns anos pra ca, essa moda de pegar a roupa do boy ficou cada vez mais frequente. Não basta ser do bonitão, mas tem que ter aquele toque masculino. Como se você tivesse invadido o armário dele e pego a primeira camisa que viu, mesmo se na verdade você foi na loja e comprou um tamanho maior que o seu.

Aqui vão algumas sugestões de celebridades que usam as camisas dos boys!!