Quem nunca viu um filme em que a mocinha acorda de manhã, a camera só filma as pernas dela andando pelo quarto? Ela pega a primeira roupa pela frente, que por acaso é sempre a roupa do galã do filme. Toda vez que penso em “boyfriend style” me vem essas cenas na cabeça.

De alguns anos pra ca, essa moda de pegar a roupa do boy ficou cada vez mais frequente. Não basta ser do bonitão, mas tem que ter aquele toque masculino. Como se você tivesse invadido o armário dele e pego a primeira camisa que viu, mesmo se na verdade você foi na loja e comprou um tamanho maior que o seu.

Aqui vão algumas sugestões de celebridades que usam as camisas dos boys!!

Já foi época quando bijuteria era sinônimo de falta de glamour ou de tentativa de cópia de uma joia. Hoje ela alcançou outro patamar e anda lado a lado com a legítima, se tornando símbolo de descontração e modernidade, sendo muitas vezes a peça chave de um look high/low.

Confira os designers que estão aproveitando para arrasar nessa onda de “costume jewlery”: as bijoux com materiais diferenciados que prezam a qualidade e a criatividade.

Tom Binns faz parte do cenário de jóias e bijuterias há 25 anos. Desde a sua entrada, ele traz inspiração do Dadaísmo, onde reinam ideias de irracionalidade e anarquia, como a rejeição dos padrões de beleza e a organização social. Ele usa esses elementos revolucionários para criar peças únicas: elegantes, mas ao mesmo tempo nada convencionais.

Nascido no Brooklin, Alexis Bittar começou vendendo suas joias semipreciosas nas ruas do Soho, em Nova York. Hoje, duas décadas depois, é um designer de sucesso, que despontou depois de ter sido reconhecido pelo Guggenheim Museum de Nova York. Inspirado pela sua paixão por antiguidade, ele tem como referencias o Art Déco e os designs em vidro de René Lalique.

Herdeira da família Fendi, a designer entra no mercado com um sobrenome já conhecido, porém uma visão jamais vista antes. Aos 23 anos, Delfina está redefinindo o design de joias em uma mistura gótica e romântica. Quem vê a linha surrealista pela qual segue suas peças, acredita que elas poderiam ter sido facilmente criadas por Salvador Dalí.

Figurinha antiga no mercado, a marca inglesa Butler & Wilson é sinônimo de acessórios de impacto ao redor do mundo. A dupla Nicky Butler e Simon Wilson vêm vestindo clientes como Madonna e Kate Moss e Lady Di e já teve Jerry Hall estampando suas campanhas. As peças charmosas e divertidas são trabalhadas em Swarovski e pedras semipreciosas.

Depois de trabalhar como estilista, pintora e designer cenográfica, Love começou sua marca de joias em 2007. Enquanto suas peças são marcadas por uma uma pegada folk e rocker, a designer nova-iorquina diz se inspirar “na natureza, na musica e na magia”. Suas coleções são repletas de braceletes carregados, colares arrematadores e muitos anéis de prata.

Marca queridinha da editora de moda Miroslava Duma, Erickson Beamon foi criada por três sócios em 1983, trazendo lindas peças com toques vintages e um luxo boêmio. Suas colaborações incluem trabalhos com Alexander McQueen, Zac Posen e Givenchy. A sua irreverência agrada uma série de celebridades, desde Lady Gaga até a primeira dama Michelle Obama.

Eddie Borgo, entre esses meu preferido, consegue como ninguém compor o Rock’n’Roll com traços clássicos e elegantes. Depois d ser convidado para uma colaboração com Philip Lim, Borgo estreou em lojas como a Barney’s New York e Colette em Paris e fez parcerias com estilistas como Marchesa e Proenza Schouler. O designer brinca com extremos: o claro e o escuro, a agressividade e a feminilidade, mantendo sempre a sensibilidade do estilo rock.

Apesar de terem nascido na Florida, as irmãs Jodie e Danielle Snyder criaram em 2008 sua marca de acessórios com base no estilo cool de Nova York. Natalie Portman, Beyoncé e Milla Jovovich são fãs dos designs da dupla, que faz uma mistura de metais com pedras e cristais em um resultado elegante com toque boêmio.

O slogan da parisiense Shourouk Rhaiem é “luxo e decadência”, conceito muito bem representado em suas coleções. Tendo começado sua carreira em marcas como Chloé e Cavalli, a designer fez sucesso quando foi convidada para fazer peças para o desfile de Jean Paul Gaultier em 2009. Elementos coloridos e chamativos, como cristais Swarovski e cores neon, dão vida as suas criações.

A designer indiana Mawi Keivom começou sua linha de acessórios em 2003 depois de estrear na coleção de Isaac Mizrahi em Nova York. Trazendo ao estilo contemporâneo influências tradicionais, a marca se tornou desde então uma das principais no cenário de bijuterias de estilo.

Já tem tempo que encontramos rostos incomuns no mundo da moda, sem definição de sexo. Desde os anos 60, a primeira modelo ícone, a inglesa Twiggy, não tinha traços fortes femininos nem masculinos. Era uma mulher de cabelos curtos e rosto angelical que, quando fotografada com roupas masculinas, passava por um belo homenzinho. E assim surgiu a tendência Andrógina na moda.

O modelo sérvio Andrej Peijic trouxe com ele a nova geração da androginia, protagonizando na última temporada o tal reboliço dos sexos. Magro, loiro e de cabelos compridos (tudo que todas as garotas queriam ser) o exótico modelo registrou sua marca por aqui e deixou seus rastros no Brasil. A nova aposta do mercado andrógino é a modelo Alemã Corinna Ingenleuf, que está sendo comparada ao cantor Justin Bieber e ao ator Robert Pattinson.Next?